fotoCAPORAL 2009.jpg

Nota de Pesar

 

Toda a equipe do Instituto de Desenvolvimento Social e Agrário do Semiárido – IDESA, se solidariza com os familiares e amigos do Professor Francisco Roberto Caporal, falecido na manhã desta sexta-feira 23 de abril.

Caporal era Doutor em Engenharia Agronômica, pela Universidade de Córdoba – Espanha (1998), Mestre em Extensão Rural, pela Universidade Federal de Santa Maria (1991) e Graduado em Agronomia, também pela Universidade de Santa Maria (1975). Atuou como diretor Técnico da EMATER-RS, de 1999 a 2002, diretor substituto do Departamento de Assistência Técnica e Extensão Rural (DATER) e Coordenador Geral de Ater e Educação, no Mesmo Departamento da Secretaria de Agricultura Familiar, do Ministério do Desenvolvimento Agrário, de 2003 a 2010.

Atualmente, atuava como Professor adjunto da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) junto o Departamento de Educação e no Programa de Pós-Graduação em Agroecologia e Desenvolvimento Territorial em associação ampla UNIVASF/UFRPE/UNEB.

Como um grande entusiasta da agroecologia e da extensão rural no país, Caporal deixa um legado que, não só usou questionar os fundamentos do desenvolvimento rural hegemônico, como também, lançou as bases para a construção de alternativas a partir da Agroecologia e do que ficou conhecido como nova ATER.

Caporal virou semente e segue semeando e florescendo entre nós! não só pela sua vasta, coerente e densa produção científica na área da Agroecologia e extensão rural, mas também pelos ensinamentos como docente e pela sua coragem, determinação e militância.

Foto: http://frcaporal.blogspot.com/p/curriculo.html

Luto.png

Luto

                      COMUNICADO IDESA: DIVULGAMOS NESTA DATA TODOS OS                                     CRITÉRIOS PARA ACESSO AO PNHR NAS COMUNIDADES                     INDÍGENAS  DE BANZAÊ-BA

 

 

O Instituto de Desenvolvimento Social do Semiárido – IDESA, CNPJ: 16.448.367/0001-02, entidade habilitada pela CAIXA/ Ministério das Cidades convoca as famílias indígenas  do Município de Banzaê/Ba que necessitam de uma moradia digna no campo, para que se apresentem na Escola do Indígena de Mirandela, dia 03/04/2017 às 09:00 h, os critérios de acesso ao PNHR – Programa Nacional de Habitação Rural, programa que​ foi criado pelo Governo Federal no âmbito do Programa Minha Casa Minha Vida, através da Lei 11.977/2009 e com a finalidade de possibilitar ao agricultor familiar, indígena e quilombola recebam uma nova casa.

Para que os beneficiários acessem o programa é necessário que os mesmos estejam enquadrados em todos os pré-requisitos a seguir:

 

Os beneficiários devem preencher alguns pré-requisitos: 

  • Fazer parte de um grupo organizado pela Entidade Organizadora;

  • Idoneidade cadastral;

  • Capacidade civil – maioridade ou menor emancipado com 16 anos completos;

  • Comprovação de estado civil;

  • CPF regular na Receita Federal;

  • Brasileiro ou estrangeiro com visto permanente no País;

  • Se beneficiários assentados do PNRA, constar na RB entregue pelo INCRA à EO;

  • Comprovar renda familiar bruta anual de até R$ 17.000,00.

Além de se enquadrarem nos pré-requisitos mencionados, a unidade familiar deve estar atenta aos requisitos que impossibilitam a contratação do programa, pois além dos itens citados existe uma lista que desqualifica o beneficiários, que são os seguintes:

São Impedimentos do Beneficiário:

  • Possuir registro no CADIN;

  • Possuir débitos não regularizados junto à Receita Federal;

  • Possuir registro no CONRES, relacionada, direta ou indiretamente, com operações contratadas junto à CAIXA com vício de construção pendente de solução;

  • Ser detentor de financiamento imobiliário ativo, no âmbito do SFH, em qualquer localidade do País;

  • Ser detentor de área superior a 4 módulos fiscais, quantificadas segundo a legislação em vigor, exceto os extrativistas, assentados do INCRA, quilombolas e indígenas;

  • Ser proprietário, cessionário ou promitente comprador de imóvel residencial em qualquer localidade do país, exceto o imóvel objeto da operação no PNHR, no caso de reforma;

  • Tenham figurado, a qualquer época, como beneficiários de subvenções habitacionais lastreadas nos recursos orçamentários da União, do FAR, do FDS ou de descontos habitacionais concedidos com recursos do FGTS;

  • Estar enquadrado no Grupo “D” do PRONAF, conforme informado no extrato da DAP;

  • Receber renda anual familiar consignada na DAP superior a R$17.000,00, independentemente do enquadramento (A, A/C, B, C, D ou V);

  • Apresentar DAP no Grupo “V” com valor de renda igual a zero;

  • Ter recebido, a qualquer época, recursos do PNCF para construção da moradia;

  • Ser posseiro de boa fé, ocupante de terras particulares há menos de 5 anos.

Vale lembrar que a prioridade na contratação das propostas segue a seguinte classificação: Povos Indígenas e Quilombolas, Assentados do INCRA, Fundo e Fecho de Pasto e Agricultores Familiares. A preferência prioritária no atendimento para todas as modalidades será para famílias residentes em áreas de risco ou insalubres que tenham sido desabrigadas, a partir de documento público que comprove, além de mulheres responsáveis pela unidade familiar e pessoas com deficiência.

 

Banzaê, 02 de Abril de 2017

O Coordenador do ATER Indígena Rogêrio Cabral em parceria com a Técnica Ilclênia Tuxa, desenvolvendo atividades na aldéia de Massacará na cidade de Euclides da Cunha BA. Muitas ideias apresentadas para o fomento da comunidade sempre em parceria e muita colaboração dos beneficiários do programa. 

IMG-20170125-WA0045.jpg
IMG-20170125-WA0045.jpg

IMG-20170125-WA0051.jpg
IMG-20170125-WA0051.jpg

IMG-20170125-WA0042.jpg
IMG-20170125-WA0042.jpg

IMG-20170125-WA0045.jpg
IMG-20170125-WA0045.jpg

1/11

Aconteceu hoje, dia 25.01.2016 pela manhã na sede da EPC no Distrito de Pilar em Jaguarari no território Piemonte Norte do Itapicuru, (Leia mais).

13/11/2015 - Visita do IDESA ao Colégio Municipal José Antônio dos Santos para conhecer um pouco mais do artesanato local feito a palha do Ariri. (Leia mais)

.

.

.

.

.

.

 

17/01/2014 – Encontro com a CODEVASF de juazeiro e a direção do IDESA, a partir das 10:00 horas da manhã, para a entrega da doação de tubos de canos, através das associações  de Jaguarari e Campo Formoso para complementação de redes hídricas afim de regularizar o abastecimento humano e animal em algumas comunidades sob coordenação das associações e assistência técnica do IDESA.

 

16/01/2014 - Reunião com os beneficiários do PNHR apartir das 09 horas da manhã na aldeia índigena Tuxá para dar continuidade aos projetos sociais com o assistente social do IDESA Janderson Igo.

 

15/01/2014 - Reunião com os beneficiários do PNHR apartir das 10 horas da manhã na aldeia índigena Massacará para dar continuidade aos projetos sociais com o assistente social do IDESA Janderson Igo.

Na última sexta-feira (27/01/2017), o IDESA participou da reunião do CMDS (Concelho Municipal de Desenvolvimento Sustentável) de Jaguarari (Leia mais).